sábado, 24 de janeiro de 2015

O NOVO CPC E OS CLÁSSICOS DO PROCESSO DO TRABALHO

Meus caros,
 
Como muitos de vocês sabem, estou trabalhando na atualização dos meus livros, que deverão ser paulatinamente (re)lançados durante o ano de 2015 de acordo com o novo CPC.
 
 
Nesta atividade, tive oportunidade de revisitar recentemente alguns autores clássicos do Processo do Trabalho, entre eles Coqueijo Costa, Campos Batalha, Wagner Giglio e Délio Maranhão (este último, embora a rigor fosse um autor de Direito Material do Trabalho, deixou-nos escritos preciosos sobre Processo do Trabalho), que, lamentavelmente, são praticamente ignorados hoje em dia.
 
 
Penso que esta tarefa, por mais paradoxal que possa parecer, é absolutamente essencial para quem deseja tratar com rigor intelectual o diálogo do Processo do Trabalho com o novo CPC.
 
Ocorre que existe no Processo do Trabalho um núcleo duro, muito bem apresentado por tais autores, que não pode ser de modo algum corrompido, sob pena de subtrairmos a autonomia da processualística laboral, alicerçada na existência de objeto, características e objetivos próprios.
 
Recomendo enfaticamente a todos os estudiosos da nossa disciplina, a leitura, entre outros, dos mencionados doutrinadores.
 
Quem se furtar a esta prazerosa atividade pouco ou nada saberá sobre a essência do Processo do Trabalho.
 
Abraços!!
 
Prof. João Humberto Cesário