quarta-feira, 28 de abril de 2010

ENSINO A DISTÂNCIA: A Nova Realidade da Escola Nacional da Magistratura Trabalhista

A meta da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho de capacitar, até o fim de 2010, pelo menos 800 juízes de primeiro grau, em administração judiciária em Varas do Trabalho começou a ser trabalhada hoje (26), com a abertura do 1º Curso de Formação de Formadores em Educação a Distância (EAD), em Brasília. A turma é composta de 56 desembargadores, juízes titulares e juízes substitutos que, após o curso (com dois dias de atividades presenciais e um mês de atividade a distância), atuarão como tutores no Curso de Administração Judiciária de Varas do Trabalho que a Escola realizará a partir de junho.
Na abertura do curso, o diretor da Enamat, ministro Barros Levenhagen (segunda foto abaixo), ressaltou que o sucesso da consolidação do ensino a distância pela Escola depende da atuação dos próprios magistrados como multiplicadores do conhecimento. “Com o início, em junho, do evento-piloto em EAD da Enamat, os magistrados-tutores terão papel fundamental na difusão destes conhecimentos de uma área sensível que é a administração de uma unidade judiciária”, afirmou. “Consolidado o modelo, o ensino a distância será estendido a várias outras áreas de aperfeiçoamento, ficando apenas o Curso de Formação Inicial no modo presencial.”
FUNDAMENTOS E MOTIVAÇÃO
A primeira fase do Curso de Formação de Formadores em EAD é presencial, e teve início com aula de Bernadete Moreira Peçanha Cordeiro, especialista em educação a distância, que falou sobre a evolução das técnicas e ferramentas dessa modalidade de ensino e dos vários aspectos que ela envolve e das habilidades necessárias ao bom desempenho do tutor, além das características do processo cognitivo.
A especialista explicou as muitas nuances da atuação do tutor em cursos em ambiente virtual e acentuou o lado menos conhecido da proposta – o humano. “Não basta usar a cabeça, a razão. É preciso envolver também o coração (a atitude) e as mãos (a técnica)”, disse Bernadete, que, no fim da aula, conseguiu mobilizar a todos num exercício interativo de canto coral improvisado: divididos em grupos, os juízes cantaram “Como uma Onda” (veja a primeira foto abaixo, na qual o Prof. João Humberto, com o microfone em punho, solta a voz em “Como Uma Onda”...), de Lulu Santos, “Caminhando”, de Geraldo Vandré, e “O que é o que é”, de Gonzaguinha.
Amanhã (27), durante todo o dia, os 56 magistrados recebem treinamento específico nas ferramentas de EAD – com ênfase na plataforma moodle – dos técnicos da própria Enamat. De volta a seus Estados, eles participarão, até o dia 4 de junho, da segunda fase, que prevê a participação em fóruns e chats, estudo de conteúdo, leitura de conteúdo e realização de tarefas online.
Fonte www.enamat.gov.br (Matéria de Carmem Feijó, exceção feita às remissões em parênteses)