quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

DE CARNAVAL, AGENDAS E COMEMORAÇÕES. Ou: DE COMO SE PASSARAM DEZ ANOS...

Findo o carnaval é hora de retomar as atividades no blog. Passei os festejos de momo trancado no meu flat. Praticamente não saí à rua. Li muito, escrevi um tanto e de resto vi televisão.
Como vocês se recordam, o meu projeto para o feriado era o de começar a escrever o meu livro de audiências na Justiça do Trabalho. Iniciei a mil por hora. Como primeiro passo da empreitada, impus-me a tarefa de ler sobre princípios processuais. Penso que aquilo que há de mais importante no estudo do Direito é domínio da principiologia e da natureza jurídica dos institutos. Separei para estudar, desse modo, o livro do Nelson Nery Junior, chamado Princípios do Processo Civil na Constituição Federal (Revista dos Tribunais).
À medida em que a leitura avançava, fui tomado por uma série de indagações e reflexões. Embora eu seja uma pessoa disciplinada, não raro reavalio os meus propósitos e dou uma guinada nos rumos das minhas atividades. Foi o que aconteceu.
Quando me dei conta, tinha abandonado temporariamente o projeto do livro de audiências e estava escrevendo um texto que provisoriamente denominei como PRINCÍPIOS PROCESSUAIS E PÓS-POSITIVISMO: Parâmetros Éticos para um Processo Constitucional do Trabalho.
Ainda não sei exatamente como utilizarei o mencionado texto. Ele poderá ser um artigo, um capítulo da minha dissertação no mestrado, ou a introdução do livro de Teoria Geral do Processo do Trabalho que desejo escrever. Ao fim e ao cabo, provavelmente, ele será um pouco de tudo isso. A ver...
Ainda durante o carnaval, fechei mais um pouco da minha agenda de palestras e aulas para o ano de 2010. Assim é que posso noticiar, em primeira mão, que nos dias 19 e 20 de março e 06 e 07 de agosto, ministrarei aulas na cidade de Cuiabá, no Curso de Pós-graduação em Direito Individual, Coletivo e Processual do Trabalho promovido pela AMATRA23 e a Escola Judicial do TRT da 23ª Região.
Em março estarei à frente do módulo de Teoria Geral do Processo; já em agosto abordarei os institutos da Antecipação de Tutela, Sentença e Coisa Julgada. Essa mesma pós-graduação, ao que tudo indica, será ainda replicada nas cidades de Rondonópolis e Sinop em datas a serem brevemente definidas.
Não posso deixar de registrar, enfim, que amanhã (18.02.2010) completarei dez anos de magistratura! Antes de ser juiz, eu havia sido servidor, por seis anos, nos TRTs da 3ª Região e da 15ª Região. Quando fui aprovado no concurso da 23ª Região, o meu plano era o de retornar para Minas Gerais o quanto antes.
Mas Mato Grosso é uma terra mágica. Conheci aqui a minha esposa, com quem me casei no ano de 2001. Cultivei amizades sinceras. Tive a oportunidade de atuar em casos de ampla repercussão nacional, que me realizaram muito como magistrado. E, projetando o futuro, cursarei, a partir de março, o meu mestrado em Direito Ambiental na Universidade Federal de Mato Grosso, no qual desenvolverei a pesquisa intitulada Técnica Processual e Tutela de Interesses Ambientais Trabalhistas.
Não preciso nem dizer que me apaixonei pelo Pantanal. Sinto-me, hoje, matogrossense de coração. Desejo viver aqui até o fim do livro dos meus dias.
Obs.: A foto que ilustra a postagem é do Rio Araguaia, na região de São Félix do Araguaia, cidade de 6.000 mil habitantes, terra de Dom Pedro Casaldáliga, situada na confluência dos Estados de Mato Grosso e Tocantins, onde vivi os dois anos mais felizes da minha vida!